Não canse seu cérebro!

Já se pegou com o olhar perdido fixo “no nada” como se seu cérebro talvez tivesse congelado por alguns segundos?

Pois bem, seu cérebro as vezes precisa congelar um evento, enquanto internamente ele compreende a situação e toma uma decisão.

É verdade que as vezes isso acontece quando você não está diante de uma decisão assim ‘tão importante’, o que ocorre é que seu cérebro já tomou tantas decisões desde que acordou pela manhã, que ele cansou!

Imagine seu dia: soneca ou levantar? Lavo o cabelo ou lavo na volta? Café em casa ou na rua? Que roupa vestir? E por aí vai…

Você mal acordou e já tomou pelo menos 10 decisões simples, a questão é que você está cansando o seu cérebro, fadigando com decisões bobas.

Explicando didaticamente, enquanto seu córtex pré-frontal processa os dados da sua escolha, seu hipocampo avalia com base nas suas memórias se vale ou não a pena.

Mesmo que seja: coloco ou não este sapato? Não me lembro se ficou ou não confortável da ultima vez…Já se foi uma escolha.

Essas pausas de escolha levam milésimos de segundos, mas depois mais cansado do ele começa a demandar mais tempo e pode pausar no nada.

Então se você não quer ter uma fadiga de decisões, comece a avaliar o que pode ser padronizado e faça isso. Poupe a energia para decisões importantes.

Eu por exemplo tenho conjuntos de roupas iguais, sério!!

O mesmo conjunto de roupas saia/calça/blusa/blazer com a mesma modelagem e cores diferentes que se combinam entre si. O conceito é ótimo e me permite estar sempre bem vestida gastando um tempo mínimo.

Como CEO eu tenho que estar apresentável e maquiada, mas isso não pode me tomar tempo, nem fadigar meu cérebro com escolhas bobas.

Já reparou que grandes nomes do mundo dos negócios são conhecidos pelo padrão de roupa? Isso gera uma marca, mas eles fazem isso para poupar tempo e energia.

E isso não quer dizer que você vai deixar de calibrar a sua ferramenta mais importante, leia, aprenda algo novo todos os dias, experimente um novo sabor.

Mas faça isso como uma oportunidade de criar uma nova conexão e não para cansar seu cérebro. Ou vai ficar “bobolhando”?

Texto originalmente retirado do Blog Gente & Gestão no site Folha Vitória.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *